Arquivo da categoria: Amor

Infalibilidade real

Padrão

Agora ela acha o máximo dos máximos arrumar a minha cama enquanto eu escovo os dentes para dormir. É uma árdua tarefa, já que a cama é imensa e a colcha, obviamente, pesada. Ontem eu me esqueci e aproveitei para deixar tudo pronto enquanto ela buscava uma boneca. Quando voltou, ficou indignada:
– “Mas eu te falei que eu ia fazer a surpresa!”
– “Ai, desculpa, filha, eu me distraí…”
– “Não gostei, agora eu nuuuunca mais vou arrumar a sua cama!”
– “Poxa, filha, desculpa, errar é humano…”

Cessa todo choro. Espanto:
– “LEÃO NÃO ERRA?!”

Anúncios

Within her there lay an invincible summer

Padrão

Um princípio de queixa na ida para a escola, primeiro dia. Eu explico que a vida é boa porque tem esses ciclos, tivemos férias, agora ela reencontraria os amigos e depois teria férias, viagem e passeios de novo. Que as próximas férias serão no verão, que a gente pode ir para uma praia e podemos até convidar os vovôs para irem junto.
– “Mamãe, como era o nome daquele hotel na praia mesmo?”
– “Borapirá. É um nome de peixe, lembra?”
– “É. Então quando o vovô e a vovó forem com a gente, vamos procurar uma praia que tenha um hotel chamado Pequeno Peixe, Pequeno Polvo?”

Samba Lelê-ish

Padrão

Brincando de escola, uma das brincadeiras favoritas do momento, ela sempre é a professora, eu sempre sou a assistente e um grande elenco de bonecos representa os colegas. Se o pai está por perto, é sempre “o aluno novo”.
Na sessão de ontem, eu errei o nome de uma boneca/amiga e ela desandou a rir:
“Você falou errado, mamãe, hahahaha! Tá com a língua quebrada, é?”